quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Quero abandonar o ensino!


Prometi, a mim mesmo, no início da carreira, que jamais daria explicações. Nada tenho contra essa atividade, como é óbvio (os meus filhos tiveram esse apoio a Matemática e o mais novo ainda tem). Foi um voto de dedicação exclusiva à profissão que, até ao momento, cumpri mais do que escrupulosamente. Como é sabido, tenho mesmo dado muitas aulas (às dezenas por ano), em regime de voluntariado, sem qualquer tipo de reconhecimento, nem da entidade patronal nem de quem a representa a nível escolar. Adiante.
Hoje, porém, a minha generalizada desilusão face aos descaminhos da Escola Pública dita-me outra orientação de vida. Sinto-me só, numa cidade bombardeada, e já só pretendo deixá-la, para poder regressar a mim mesmo, preservando de mim o professor que — até agora, muitas vezes à sobreposse e lutando contra quase todos — sempre consegui ser. Mas agora… está iminente o limite de todos os limites que tenho sabido alargar. A minha objeção de consciência já me tortura quase a tempo inteiro. A degenerescência da missão docente tem, para mim, um limite. Tem de ter um limite! Quero, por isso, dar outro rumo à minha vida.
Não, não tenho empregos nem ocupações remuneradas à minha espera. Não tenho absolutamente nada à minha espera. E é apenas por essa razão que ainda não saí. Mas tenho a promessa inicial, que soube preservar e que não pretendo quebrar: a das explicações. Sem falsas modéstias, acho que poderei ser um bom explicador de Português (afinal, é o que tenho feito, gratuitamente, nas escolas, com salas cheias e escassíssimo absentismo). Estou decidido a deixar o ensino para continuar a ser apenas o professor que quero ser. Se tal for possível, é meu propósito, doravante, trocar os polos ao “juramento”: ser explicador, em exclusividade, e abandonar o palco onde, até agora, apenas representei uma personagem.
Dou, por isso, o primeiro passo. Sem ele, jamais sairia/sairei das intenções. No momento em que atingir os “mínimos olímpicos”, trocarei o salário seguro pela insegurança fiel.
Aos eventuais interessados nos meus serviços, solicito que me contactem através da seguinte conta de correio eletrónico: luisfernandoribeirodacosta@gmail.com.
Obrigado!

2 comentários: