quarta-feira, 25 de abril de 2018

Mágoas mil




"Ó musa, minha cúmplice, ó minha irmã d’exílio”, vem blindar o meu sonho de Abril!
Quase todos depuseram a alma, musa minha, quase todos se renderam, quase todos se calaram, se vergaram, obedeceram… Quase todos, agora, querem o meu desterro; longe da sua farta marmita, do seu precioso chão, a minha contagiosa lepra, a minha perigosa palavra incontrita. Quase todos querem o enterro da minha aura maldita.
É a hora! Ó musa, minha confidente, ó minha solidão, vem, sem demora, beijar-me Abril no coração! Vem salvar-me deste bafo doente.

2 comentários:

  1. Uma reaproximação é urgente
    https://setepecadosimortais.blogspot.pt/2018/04/fenprof-e-professores-de-costas.html

    ResponderEliminar
  2. Caro anónimo, o meu amigo Gabriel, nesse artigo, comete um erro essencial: o da generalização. Não é a FENPROF e os professores que estão de costas voltadas, é a FENPROF e um pequeníssimo grupo de professores (os que tomaram a dita iniciativa legislativa). Ainda que consideremos (abusivamente) que todos os que a subscreveram, até ao momento, estão também nesse grupo, a soma situa-se na casa dos 3% do corpo docente. Portanto, estamos muito longe de poder falar dos professores em geral.
    É pena que certas pessoas — que eu tenho por perspicazes — não consigam enxergar o que está realmente a acontecer.

    ResponderEliminar