segunda-feira, 12 de março de 2018

Farei greve!




Pela intervenção de Mário Nogueira, em geral, e pelo que diz sobre as (im)possibilidades de conversão do “tempo congelado” em bonificação na contagem do tempo de serviço para a reforma, em particular,  manda a disciplina “militar” que me posicione na linha da frente da greve. Enterro, pois, durante este tempo de combate, o machado da contestação à frouxidão e à ansiedade negocial dos sindicatos. “Outro valor mais alto se levanta”.
Os sindicatos — como todos nós — têm os seus defeitos e as suas virtudes, mas não podemos cometer a maior das asneiras: abandonar a retaguarda. Perderemos em toda a linha. Sejamos “disciplinados” agora e contestemos depois, veementemente, o que, na nossa opinião, devemos contestar. 

2 comentários: