domingo, 12 de novembro de 2017

Bilhete (aberto) aos diretores


A greve agendada para o próximo dia 15 não é um ataque à tutela nem um atropelo aos direitos dos alunos à educação e ao ensino, é apenas uma legítima ação de luta dos professores pelos seus direitos (entre os quais, por exemplo, consta um inquestionável e justíssimo descongelamento da progressão na carreira que não subtraia uma década de trabalho muito esforçado). É, pois, uma ação reivindicativa perfeitamente enquadrada nos elementares princípios democráticos.
Se é verdade que ainda vos considerais professores, então esta também é causa vossa. Deveis, por isso, assumir uma posição, sair do habitual silêncio multifuncional em que vos abrigais, quando se pugna pelos direitos da classe. Afinal, também é por vós que todos estamos a lutar.
Ninguém espera que façais greve, mas penso que é vosso dever dizer, pelo menos, se estais ou não estais inscritos nesta luta, se apoiais ou não apoiais esta importantíssima greve dos professores. Como? É muito fácil. Basta fazerdes o que fazeis já por rotina: mandatais o vosso prolixo representante (pode ser por e-mail) e, através da sua eloquência, dizeis claramente ao país de que lado estais. Que tal?  
Se não o fizerdes, a populaça docente vai pensar que preferis perder enquanto professores para ganhar como diretores. Não seria justo! 


Sem comentários:

Enviar um comentário